Arcoiris TV

Chi è Online

295 visite
Libri.itBAUHAUSMDELS. A TRIBUTE TO PIONEERING WOMEN ARTISTSN.197 BRUTHER (2012-2018)LO STRUFFALLOCERO BLU LONDON MIRABILIA. VIAGGIO NELLNORMAN MAILER. MOONFIRE. 50TH ANNIVERSARY EDITION

Fai un link ad Arcoiris Tv

Utilizza uno dei nostri banner!


Rivista ILLUSTRATI

Sfoglia riviste di Illustrati

Tag: Música

Totale: 37

Cumprir seu dever é a missão de toda criatura

I
O dever do homem não tem nada a ver
com ser abençoado ou amaldiçoado.
Seu dever é o que ele tem que cumprir
sem pagamento ou condições.
"Abençoado" é usufruir da bondade
depois de ser julgado e aperfeiçoado.
"Amaldiçoado" é quem não muda sua disposição
e por isso sofre a punição.
O homem deve cumprir seu dever.
Ele deve fazer o que puder,
quer seja abençoado ou amaldiçoado.
Isso faz dele alguém que busca,
alguém que busca a Deus.
Isso faz dele alguém que busca a Deus.
II
Não cumpra seus deveres pelas bênçãos,
nem recuse por medo da maldição.
O dever deve ser cumprido.
Seu fracasso quer dizer que você é rebelde.
"Abençoado" é usufruir da bondade
depois de ser julgado e aperfeiçoado.
"Amaldiçoado" é quem não muda sua disposição
e por isso sofre a punição.
O homem deve cumprir seu dever.
Ele deve fazer o que puder,
quer seja abençoado ou amaldiçoado.
Isso faz dele alguém que busca,
alguém que busca a Deus.
Isso faz dele alguém que busca a Deus.

de A Palavra manifesta em carne

Deus deseja salvar o homem o máximo possível

I
Durante a obra de salvação de Deus,
Ele salvará todos que puder,
e não descartará ninguém.
Mas aquele que não souber
mudar seu caráter
ou obedecer totalmente a Deus
vai sofrer punição.
Quem aceitar a conquista pela palavra
terá muita chance de salvação.
A salvação de Deus vai mostrar
Sua total clemência e tolerância.
Se as pessoas voltarem do caminho errado,
e se arrependerem, Deus dará a chance
de ganharem Sua salvação.
II
Neste estágio da obra,
a obra das palavras abre às pessoas
todos os caminhos e mistérios
que elas não entendem.
Com isso, o homem conhece a vontade
e as exigências de Deus ao homem.
Então ele pode praticar as palavras de Deus
e mudar seu caráter.
Quem aceitar a conquista pela palavra
terá muita chance de salvação.
A salvação de Deus vai mostrar
Sua total clemência e tolerância.
Se as pessoas voltarem do caminho errado,
e se arrependerem, Deus dará a chance
de ganharem Sua salvação.

Música gospel 2018 Nossa vida não é em vão? Igreja de Deus Todo-Poderoso

Hoje nos encontramos com Deus,
experimentamos a Sua obra.
Conhecemos Deus em carne, prático e real.
Vimos Sua obra, incrível e maravilhosa.
Cada dia da nossa vida não é em vão.
Afirmamos Cristo como a verdade e a vida.
Compreender e aceitar este mistério.
Estamos no caminho mais brilhante para a vida.
Chega de procurar, tudo está claro.
Sempre Te amaremos, Deus, sem nos arrepender.
Encontramos a verdade, iremos ganhar a vida eterna.
Nossa vida não é em vão, não é em vão.
Nossa vida não é em vão. Nossa vida não é em vão.

Vida de amar a Deus, significativa e plena.
Cumprir nosso dever de testemunhar por Ele.
Ganhamos o louvor de Deus, recebemos Sua salvação.
Não vivemos em vão; nossa vida é rica e plena.
Sempre Te amaremos, Deus, sem nos arrepender.
Encontramos a verdade, iremos ganhar a vida eterna.
Nossa vida não é em vão, não é em vão.
Nossa vida não é em vão. Nossa vida não é em vão.

Quem poderia ser mais abençoado do que nós?
A sorte poderia ser mais rica e vasta?
Pois Deus deu muito mais para nós
do que qualquer coisa que Ele deu há tempos atrás.
Precisamos viver para Deus, que levantou você e eu.
Devemos retribuir todo o amor derramado sobre nós.
Sempre Te amaremos, Deus, sem nos arrepender.
Encontramos a verdade, iremos ganhar a vida eterna.
Nossa vida não é em vão, não é em vão.
Nossa vida não é em vão. Nossa vida não é em vão.
Nossa vida não é em vão.
de Seguir o Cordeiro e cantar cânticos novos

Un maestro de la música argentina

Carlos Di Fulvio, oriundo de Carillobo, provincia de Córdoba, nació en el año 1939. Hombre de la pampa gringa por nacimiento, a los 4 años se radicó junto a la familia en la ciudad de Córdoba y no descansó hasta que pudo concretar uno de sus más anhelados sueños: conocer la montaña. Mientras integraba el Cuerpo de Danzas Folklóricas del Teatro Rivera Indarte de Córdoba y cursaba estudios de dibujo y pintura en la Escuela provincial de Bellas Artes añadía a su vocación artística la práctica del canto y de la guitarra. Su primera presentación en público fue en 1953. En 1958 su nombre ya era conocido en todo el ámbito del país: LS8 2 TV Canal 7, LR4 Radio Splendid, RCA Víctor entre otros, fueron los medios coincidentes en difundir su cuantiosa obra como autor, compositor e intérprete. Hoy, mientras su obra poética, a nivel secundario y terciario, se ha transformado en material de análisis, su música forma parte del programa de estudio en algunos conservatorios para la formación de nuevos guitarristas argentinos. Este cordobés nacido en la pampa gringa, pero identificado con el norte provincial, ha dado al cancionero folklórico argentino algunas de sus obras más clásicas como "Guitarrero", "Campo afuera", "¿Se acuerda Doña Maclovia?, "Cerro Salamanca" y "Un paso aquí, un tranco allá"

Cortesía de Roberto Di Chiara

Visita el sitio: www.robertodichiara.com

Olé cataplum

1948. La inolvidable artista argentina y radicada en España nos deleita con este tema. Magdalena Nile del Río, llamada Imperio Argentina, nació en Buenos Aires en 1906. Actriz cinematográfica argentina. Tras su debut en Madrid (1924) en el teatro Romea empieza un recorrido por toda España y graba sus primeros discos. Fue durante muchos años la estrella indiscutible del cine español: "La hermana San Sulpicio", F. Rey, 1928; "Corazones sin rumbo" de 1928, filmada en Alemania; "Los claveles de Virginia", 1928; "Nobleza baturra", J. Vila, 1935; "Morena clara", F. Rey, 1936; "Los majos de Cádiz", 1947; "Café cantante", 1957. Tras un largo período de inactividad, retornó al cine con "Tata mía", de J.L. Borau (1986)

Cortesía de Roberto Di Chiara

Visita el sitio: www.robertodichiara.com

Luna de España

Musical, con la voz de Nati Mistral, que nació el 13 de diciembre de 1928 en Madrid, España. Filmografía en Argentina "Frutilla" (1980) y "Mi Buenos Aires querido" (1961)

Cortesía de Roberto Di Chiara

Visita el sitio: www.robertodichiara.com

La inolvidable Lola de España

Lola Flores, Dolores Flores Ruíz, nació en Jerez de la Frontera (Cádiz) en 1923 y murió en Madrid en 1995. Su asalto a la cima de la fama se produjo al conocer en 1943 a Manolo Caracol, que ya era estrella del espectáculo. Los dos se unieron, artística y sentimentalmente y formaron una pareja irrepetible. Lola Flores fue un genio plurivalente. No sólo bailaba, sino que cantaba, recitaba, interpretaba, presentaba programas de televisión. Su canto era ligero, pues se quedaba en los estilos más livianos como los tanguillos, las sevillanas, las zambas, la rumbas, etc. Interpretaba también canciones de la más diversa genealogía, desde los ritmos americanos al pasodoble, destacando sobre todo en la copla andalusa

Cortesía de Roberto Di Chiara

Visita el sitio: www.robertodichiara.com

La Lola se va a los puertos

Interpretación de la estrella española, Juanita Reina. Artista de Sevilla, se le otorgó la medalla de Oro en Andalucía:D° Juana Reina Castrillo, «Juanita Reina», natural de Sevilla, suprema y gran señora de la Copla Andaluza, a lo largo de su vida, dedicado al teatro, al cine y a la canción, ha llevado, en sus labios y en su corazón, el nombre de Andalucía por el mundo, con toda dignidad y un arte exquisitos amplia obra musical y cinematográfica -de entre la que cabe recordar «la Blanca Paloma», «Tabaco y Seda», «Solera de España», «La Lola se va a los puertos», «Sucedió en Sevilla» y Lola la Piconera»- es parte de la cultura popular andaluza, haciendo de «Juanita Reina» un mito de la copla

Cortesía de Roberto Di Chiara

Visita el sitio: www.robertodichiara.com

La cumparsita

Tango argentino en la voz de Agustín Irustia. Agustín, nació en la ciudad de Rosario, 1902. Falleció en Caracas, 1987. Cantante y compositor argentino. Con Fugazot y Demare formó en París (1927) un célebre trío que difundió el tango por toda Europa. Es autor de conocidos tangos, como Sorbos amargos o Dandy

Cortesía de Roberto Di Chiara

Visita el sitio: www.robertodichiara.com

El arte de Carmen Amaya

1950. Musical. Gitana de procedencia, se formó artísticamente a lado de su padre, el guitarrista José Amaya, "el chino". Bailó desde la edad de 4 años en el distrito V de Barcelona. En 1929 formó con su tía "la Faraona" y su prima María Amaya el Trío Amaya, que formaba parte de un cuadro flamenco que entre 1933 y 1934 actuó en París e inició, en 1936, una gran gira por América, donde alcanzó grandes éxitos en Argentina, Brasil, Cuba y EE.UU.

Cortesía de Roberto Di Chiara

Visita el sitio: www.robertodichiara.com